Segurança Online 101: Como manter seus filhos seguros online

Nos últimos anos, o Canadá viu um aumento no roubo de identidade e outros crimes na Internet. Em resposta a isso – a legislação conhecida como Lei de Proteção de Informações Pessoais e Documentos Eletrônicos (PIPEDA) foi aprovada.


roubo de identidadeAs novas regras de privacidade são projetadas para informe os canadenses quando houver uma violação de dados. Uma grande parte da nova decisão deve evitar violações em primeiro lugar.

No entanto, atualmente, todas as empresas são obrigadas por lei a alertar a Comissão de Privacidade do Canadá se houver um risco real de os dados de um indivíduo serem comprometidos por uma violação de dados.

A lei está exigindo vagamente que as empresas tomem ações “apropriadas” para manter os dados seguros. Ele também usa terminologia inexata para determinar quando uma empresa precisa alertar os clientes sobre uma violação de dados. Isso pode ser preocupante para os canadenses, pois manter seus dados seguros se tornou uma das principais preocupações.

De acordo com o escritório do comissário de privacidade Daniel Therrien, as violações de dados como o grande hack Equifax levantou bandeiras vermelhas para cidadãos canadenses mas as leis não refletiram essa preocupação.

Ele solicitou um aumento no orçamento anual de US $ 24 milhões para usar na análise e investigação de relatórios de violação de dados, o que ajudaria a distribuir as multas de US $ 100.000 por violação que estão em jogo para empresas que não lidam corretamente com violações de dados.

Especialistas dizem que esses regulamentos não vão longe o suficiente e a confiança no novo regulamento é baixa.

Com computadores monitorados 24 horas, os hackers ainda conseguiam planejar e realizar ataques maliciosos. Esse fato faz com que a proteção de indivíduos e computadores pessoais pareça quase impossível. No entanto, não precisa ser impossível.

À primeira vista, remover a Internet da sua casa para proteger sua privacidade e identidade pode parecer ser a única opção. No entanto, é fundamental lembrar que a internet também é uma ferramenta valiosa.

Uma variedade de guias está disponível para ajudá-lo a manter sua privacidade e segurança on-line para crianças, mas muitos desses guias são muito gerais ou estão fora de contato com a tecnologia moderna para serem úteis em algumas situações..

Este guia abrangente ajudará você a proteger sua privacidade enquanto protege crianças, fornecendo uma vasta gama de dicas e informações de segurança sobre mídias sociais e aplicativos de bate-papo, como Facebook e Snapchat.

Contents

Etapas para manter as crianças seguras online

Nesta seção deste guia, você terá uma compreensão geral de alguns itens que você pode fazer para manter a privacidade de seu filho segura e de algumas coisas que ele ou ela pode fazer para ajudar.

Orientações para os pais

mantendo-se seguro onlineAo tentar manter sua privacidade segura, um ponto de partida é a página de recursos do FBI, onde você pode encontrar uma variedade de informações úteis sobre como proteger seu filho dos perigos online. Este site é o recurso perfeito, pois é atualizado continuamente para atender às necessidades de novas tecnologias.

A cada novo avanço na tecnologia de computadores e telecomunicações, o acesso a novas fontes de informação e experiência cultural se expande. No entanto, como esse acesso aumenta, o mesmo acontece com a oportunidade para predadores para obter acesso às informações particulares de você e de seu filho.

Esse fato torna essencial para você (especialmente os pais) entender os vários perigos do acesso on-line e como monitorar as alterações nas informações que podem resultar de problemas on-line.

Predadores online

Predadores online podem ter vários objetivos. Alguns predadores buscam informações, mas outros querem mais. É importante reconhecer que um pequeno grupo de pessoas navega na Internet com a única intenção de fazer amizade com uma criança. Essa amizade pode ser o começo de preparar uma criança para exploração sexual mais tarde.

Um predador sexual tem uma capacidade fantástica de diminuir lentamente as reservas de uma criança durante um pequeno período, fingindo ser outra pessoa. Qualquer pessoa pode criar um perfil de mídia social diferente da realidade.

Se a criança não tiver certeza, colete informações sobre essa pessoa. Se o comportamento do jovem mudar, pode ser indicativo de que ele é um predador sexual. Alguns sinais de alerta a serem procurados incluem muito tempo online ou pornografia no computador do seu filho.

O FBI compilou listas que incluem sinais comuns se você estiver preocupado com a experiência on-line do seu filho. Se seu filho mostrar algum desses sinais, você deve estar preparado para fale abertamente sobre as ameaças de predadores online e como evitá-los.

Você deve conversar com seu filho e entrar em contato com a polícia local se encontrar evidências de qualquer contato inadequado entre um adulto e seu filho. Uma chave vital para evitar problemas extremos como cyberbullying ou predadores sexuais é comunicação aberta entre pai e filho.

Várias fontes estão disponíveis para ajudar a informar e orientar os pais. Esses sites incluem:

  • Conselho Nacional de Segurança – oferece dicas sobre como garantir que seus filhos saibam se manter seguros.
  • Federal Trade Commission – dá apoio aos pais quando conversam com crianças sobre segurança na Internet.
  • Protectkids.com e Internet Safety 101 – são excelentes fontes de informações sobre predadores sexuais e aconselham a ajudar a evitar os perigos associados aos predadores on-line.

A Web e as crianças

site de login para criançasA internet é uma parte fundamental da vida cotidiana, o que significa que adultos e crianças devem ser cidadãos digitais inteligentes. Como a educação e o entretenimento são tão facilmente acessíveis, foram criadas forças-tarefa especiais para ajudar a garantir a segurança da escola e do campus. Essas forças-tarefa estão tentando proteger as crianças do assédio moral e da violência na escola.

Esses problemas às vezes seguem a criança para casa. No entanto, a internet também pode ser usada de maneira positiva. Por exemplo, a violência no namoro sempre foi um problema físico e se tornou uma preocupação significativa. Várias estatísticas provam que esse fenômeno é comum, mas a Internet pode ajudar a resolver esse problema.

LoveIsRespect é uma organização com o objetivo principal de educar e capacitar as pessoas para ajudar a prevenir ou encerrar relacionamentos abusivos. Eles conduziram um estudo em 2008, que descobriu que 69% dos adolescentes que tiveram relações sexuais aos 14 anos disseram que experimentou alguma forma de abuso de relacionamento.

Este estudo também forneceu informações em que um em cada cinco adolescentes entre 13 e 14 anos afirma conhecer amigos ou colegas que foram atingidos por um namorado ou namorada com raiva. Também implicava que apenas 51% dos pré-adolescentes podiam identificar sinais de alerta de um relacionamento perigoso.

Usando recursos como LoveIsRespect, um pai pode usar a Internet para preencher a lacuna de conhecimento. Também pode ser usado para lidar com a violência e outros problemas que surgem durante os anos críticos de formação.

Cyberbullying

Cyber-bullyingO bullying é uma pequena parte da sociedade há muitos anos, mas com a invenção da internet, ele assumiu uma forma totalmente nova.

O cyberbullying pode ser definido pelo uso de várias tecnologias (telefones celulares, computadores ou qualquer outro dispositivo conectado à Internet) para enviar, postar ou enviar dados de texto criados para ferir ou embaraçar outra pessoa. O cyberbullying pode até acontecer ao usar consoles de videogame.

Com a quantidade de tecnologia disponível para o cyberbullying, os pais devem estar extremamente vigilantes para identificar qualquer indício disso. Facebook, Twitter, salas de bate-papo, fóruns e outros sites de redes sociais podem ser usados ​​para atacar outras pessoas. Os cyberbullies usarão qualquer forma de mídia para obter sucesso em seus comentários e ações prejudiciais.

Essas maneiras podem incluir, mas não estão limitadas a, espalhar boatos, vazar informações pessoais ou até mesmo se passar por personificação. Quando se trata de cyberbullying, isso pode ser flagrante ou furtivamente. Sem uma troca cara a cara, muitos agressores tendem a agir com mais ousadia online do que no pátio da escola.

Em 2010, a pesquisa sugeriu que 43% dos adolescentes têm experiência de ser vítima de cyberbullying. Portanto, também é essencial que os pais mantenham um diálogo aberto sobre o cyberbullying com seus filhos..

Alguns recursos valiosos para se referir a esse assunto estão listados aqui:

  • Centro de pesquisa sobre cyberbullying – contém informações sobre soluções para cyberbullying.
  • DoSomething.org – lista 11 fatos sobre os problemas associados ao cyberbullying.
  • Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas– inclui uma página que explica como parar o cyberbullying e como saber se seu filho está sendo intimidado online.

Proteção de Informações Pessoais

Se seu filho tiver menos de 13 anos, você terá total controle sobre as informações pessoais coletadas online. Esta lei fornece a você a oportunidade de consentir com quaisquer dados mantidos sobre seu filho. Também requer que o site mantenha os dados coletados em segurança. Leia mais sobre como os serviços de VPN canadenses podem ajudar a proteger seus dados.

Quando se trata de proteger seu filho on-line, pode valer a pena pesquisar as leis de privacidade. Algumas dessas leis também se aplicam à proteção da privacidade de um adulto. Uma variedade de sites possui informações e dicas benéficas sobre como manter informações confidenciais longe de usuários não autorizados.

Os sites a seguir fornecem às pessoas informações atualizadas e informadas sobre a proteção de suas informações pessoais:

  • Federal Trade Commission – oferece uma página cheia de informações sobre questões de privacidade.
  • Lei de proteção à privacidade on-line das crianças – fornece um resumo para os pais sobre o aspecto legal da proteção on-line das informações das crianças.
  • DO-IT – fornece uma variedade de dicas sobre como garantir que seus dados não sejam encontrados online.

Dicas para crianças

  • Seria melhor se você sempre perguntasse aos seus pais antes de fornecer informações pessoais.
  • Você nunca deve fornecer seu sobrenome ou endereço residencial.
  • Outra dica útil é criar um nome de tela sensível.
  • Esse nome de tela não deve incluir dados pessoais, como data de nascimento ou nome.
  • É vital informar seus pais antes de encontrar um amigo on-line.
  • Lembre-se, nem todo mundo é quem eles dizem que são.

Visite os sites a seguir para obter mais informações sobre segurança enquanto estiver online:

  • Biblioteca Pública de Nova York – fornece excelentes conselhos sobre como encontrar informações e dicas para manter as crianças seguras enquanto estão online.
  • National National’s Advocacy Center – fornece dicas e recursos de segurança na Internet para crianças de todas as idades.
  • McGruff Safe Kids – lista dez regras gerais de segurança sobre o fornecimento de informações on-line.

Dicas para os pais

ParentTipsPara dar confiança aos pais, o Family Online Safety Institute fornece conselhos úteis sobre boa parentalidade digital. Essa confiança permitirá que os pais ajudem seu filho a navegar com segurança pela Internet.

De acordo com a idade do seu filho, os problemas e assuntos variam. No entanto, a paternidade moderna exige que você tenha um forte entendimento dos acontecimentos on-line. Esta informação deve incluir os vários aplicativos que estão sendo introduzidos.

Você pode se tornar um pai superior utilizando tecnologia inteligente. Ele permite que você desenvolva um relacionamento mais confiável e colaborativo com a criança, mantendo um diálogo honesto sobre como ele ou ela usa a Internet. Você deve ter um profundo conhecimento e conhecimento dos vários sites que atraem a juventude de hoje.

Abaixo estão dois sites que você pode utilizar para obter uma melhor compreensão e orientação. É vital sempre lembrar que a segurança na Internet pode ser um componente crítico de uma experiência online positiva.

Os sites para ajudá-lo a alcançar esses objetivos são:

  • Family Online Safety Institute – possui sete etapas para uma boa parentalidade digital que fornece dicas para o uso online seguro.
  • Departamento de Educação do Estado de Washington– oferece um PDF que contém várias dicas de segurança on-line para pais e filhos.

Aplicativos e sites populares

Depois de explorar os sites acima para aprender como manter seus filhos geralmente seguros online, esta próxima seção fornecerá uma visão geral dos aplicativos e sites mais usados.

site x aplicativo

Um dos aplicativos mais populares é o Snapchat. Quase teens de adolescentes na Austrália usam este aplicativo diariamente. Milhões de fotos e vídeos são trocados todos os dias.

Todo vídeo, foto e captura de tela devem ser excluídos automaticamente em alguns segundos quando você estiver usando o Snapchat. No entanto, é possível recuperar a exclusão ou captura de tela das imagens em outro dispositivo. Esse processo deixa um registro permanente do que você acha temporário.

Outro aplicativo popular é o Kik Messenger. Com o Kik Messenger, você pode enviar mensagens sem fornecer seu número de telefone. Esse fato o torna um aplicativo popular entre pessoas que desejam permanecer anônimas.

Se você ler os comentários para este aplicativo, percebe rapidamente que esse aplicativo é famoso por receber e enviar mensagens explícitas. Ele tem até 17 anos ou mais por causa de “Temas sugestivos / freqüentes / intensos de idade adulta”. Esta classificação não impede que crianças menores de 17 anos façam o download e usem o aplicativo.

O próximo na lista de aplicativos favoritos é o Ask.fm, um site de rede social com formato de perguntas e respostas. Este aplicativo foi associado recentemente a bullying e suicídios. Somente crianças com mais de 13 anos são permitidas, mas o aplicativo não possui um sistema para monitorar a atividade.

Este aplicativo pode ser considerado uma meca para o cyberbullying. Esses aplicativos são apenas alguns dos novos perigos on-line que crianças e adultos precisam enfrentar. Ao ser informado sobre os aplicativos e sites mais usados, você pode aprender a criar um diálogo útil sobre segurança ao usar os aplicativos.

Listados abaixo estão algumas etapas específicas que você e seu filho podem seguir com aplicativos e sites específicos para ajudar a mantê-los seguros.

1. Snapchat

logotipo para celular do snapchatEste aplicativo de mensagens extremamente popular adicionou recursos de bate-papo por vídeo e mensagens de texto para criar um site de comunicações tudo-em-um. Este aplicativo é incrivelmente popular entre jovens adultos e adolescentes.

O Snapchat exige que os usuários tenham mais de 13 anos para criar uma conta. A maioria dos usuários acredita que as mensagens são excluídas automaticamente em alguns segundos, mas outros sabem que a Internet é para sempre. Essas mensagens “destruídas” podem ser recuperadas rapidamente com uma quantidade limitada de conhecimento técnico.

Essas mensagens também podem ser salvas tirando uma captura de tela. O Snapchat quer que as pessoas acreditem que a maioria dessas mensagens é inofensiva, mas o aplicativo tem uma reputação de sexting. No entanto, você não precisa entrar em pânico.

O Snapchat possui várias configurações que podem ser alteradas para ajudar a proteger a privacidade e eliminar o recebimento de mensagens inadequadas de estranhos.

Protegendo seu filho no Snapchat

A maioria das pessoas acha que ter acesso à conta da criança é útil. No entanto, isso não ajudará com este aplicativo específico. Você deve incentivar a criança a não enviar ou receber mensagens sem a sua apresentação.

Esse fato é importante porque as mensagens ‘excluem’ após abri-las. Também é uma boa ideia discutir como o aplicativo funciona, corre o risco de usá-lo etc. Incentive seu filho a pensar antes de enviar uma imagem.

É vital que seu filho também entenda que nunca é bom enviar fotos sexuais. É possível definir uma configuração de privacidade apenas para permitir mensagens de amigos e familiares. Você pode fazer isso iniciando no menu de configurações do Snapchat.

Em seguida, clique no local onde diz “Quem pode me enviar mensagens?”. Você pode então selecionar “Meus amigos”. Se você está preocupado com o fato de seu filho utilizar o aplicativo sem você, entre em contato com o Snapchat e ele excluirá a conta de qualquer pessoa com menos de 13 anos.

Esse processo pode ser iniciado em https://support.snapchat.com/delete-account. Você deve ter o nome de usuário e a senha para remover uma conta. Se você não tiver essas informações, vá para

https://support.snapchat.com/en-US/a/delete-my-account1.

Se uma criança com menos de 13 anos tentar criar uma conta do Snapchat, ela receberá acesso ao SnapKidz. No entanto, se uma criança tiver mais ou menos a sua idade, ainda poderá obter acesso ao aplicativo.

O SnapKidz permite que as crianças tirem fotos, mas não as enviem. Também é impossível para as crianças enviar ou receber mensagens ou adicionar amigos no SnapKidz.

2. Kik Messenger

kik-messenger-logoCom mais de 100 milhões de usuários, o Kik é um dos aplicativos mais importantes para adolescentes atualmente. Você pode enviar adesivos virtuais, pesquisas, mensagens de texto, fotos e vídeos usando este aplicativo. Como você só precisa do nome de usuário de Kik de alguém para enviar uma mensagem, não precisa fornecer seu número de telefone.

Esse fato pode dar aos indivíduos uma falsa sensação de segurança. Pode parecer seguro porque seu filho está fornecendo apenas um nome de usuário on-line anônimo, mas não é. Kik é extremamente popular para sexting, o que lhe dá uma classificação de 17 anos ou mais na app Store.

No entanto, o Kik permite que qualquer pessoa com mais de 13 anos crie uma conta. Ao ler os comentários, você pode ver que este aplicativo não é apropriado para crianças. Se seu filho usar Kik, ele poderá receber mensagens de qualquer pessoa no aplicativo.

Protegendo seu filho em Kik

Como pai, você pode manter seu filho seguro:

  • Incentivando-os apenas a enviar mensagens para pessoas que eles conhecem offline
  • Dizendo-lhes para nunca compartilhar informações pessoais / privadas com estranhos ou apenas amigos on-line
  • Mostrando à criança como usar o recurso de novas pessoas. Kik enviará mensagens de novas pessoas para a seção “Novo bate-papo”, na qual a criança pode bloquear e ignorar o remetente.
  • Manter o nome de usuário da criança privado.

Quando você deseja bloquear pessoas, primeiro acesse as configurações. Na área de configuração, vá para configurações de bate-papo ou configurações de privacidade. Localize o local “lista de bloqueios” e selecione o botão +. Em seguida, você deve encontrar o usuário que deseja bloquear e clicar em bloco para confirmar.

Se você deseja manter um nome de usuário privado, peça ao seu filho para compartilhá-lo apenas com pessoas que ele conhece offline e evite postar o nome de usuário em outros aplicativos ou sites de mídia social.

3. Ask.fm

ask-fm logoMuitos pais estão cientes dos sites gigantes de mídia social, como Facebook, Instagram e Twitter. No entanto, o Ask.fm é outro site de rede social que cresce rapidamente em popularidade entre menores de 18 anos.

O Ask.fm é um site exclusivo, pois permite que os usuários façam e respondam perguntas anonimamente. Este site recebeu recentemente as notícias associadas a um caso de suicídio na Flórida. Usando o aplicativo Ask.fm, as crianças intimidaram uma jovem até que ela cometeu suicídio.

Na Grã-Bretanha, o primeiro-ministro David Cameron se referiu ao aplicativo como vil por causa de problemas semelhantes de cyberbullying em seu país. Segundo o BuzzFeed.com, nove suicídios de todo o mundo foram vinculados a este site de mídia social. A razão por trás desse fato é a capacidade de fazer perguntas anonimamente sem que ninguém monitore o conteúdo.

O site Ask.fm possui um aviso de isenção de responsabilidade que declara que a empresa não se responsabiliza por conteúdo que você possa achar censurável, obsceno ou de mau gosto. Com os riscos e a popularidade associados a este aplicativo, é vital saber se seu filho está usando e como protegê-los.

Protegendo seu filho no Ask.fm

Você pode tirar proveito das configurações de privacidade disponíveis neste aplicativo para ajudar a proteger crianças e adultos. Se uma mensagem for recebida por uma pessoa assediadora, você pode clicar em “bloquear” ao lado da pergunta para interromper a capacidade da pessoa de fazer perguntas..

Você também pode acessar as configurações e clicar em privacidade. Depois de clicar em privacidade, pressione a tecla “não permitir perguntas anônimas” para impedir que estranhos possam fazer perguntas. Certifique-se de incentivar seu filho a não compartilhar senhas com amigos ou estranhos.

Enquanto o aplicativo estiver sendo usado, você deve tentar manter um diálogo aberto, para que seu filho o procure se houver algum problema. Se você tiver acesso, pode ser benéfico monitorar o comportamento e as interações da criança para mantê-la responsável..

Seu filho também precisa entender que tudo e qualquer coisa postada no Ask.fm pode ser compartilhada em outros sites de mídia social. Portanto, se seu filho não o compartilhar com a família, ele não deverá ser publicado on-line.

Por fim, é fundamental conversar com seu filho sobre cyberbullying, interagir com outras pessoas e como outras pessoas se comunicam com ela. Se você ou seu filho sentirem que estão sendo intimidados on-line, converse com seu filho e, em seguida, tome medidas.

Quando outros usuários violarem os termos de uso, você poderá iniciar um processo formal de reclamação empregando a área “entre em contato” ou enviando um email para [email protected] Os termos de uso proíbem uma variedade de conteúdo que inclui itens ofensivos, odiosos, pornográficos ou ameaçadores.

Você pode desativar uma conta Ask.fm fazendo login primeiro no aplicativo. Em seguida, clique em configurações no lado superior direito da tela. Em seguida, clique no local onde diz “desativar conta”. Você deve confirmar isso digitando a senha novamente.

4. Badoo

logotipo do badooMuitas pessoas nunca ouviram falar do Badoo. Quando você pensa sobre essa afirmação, pode ser aterrorizante perceber quanto a criança usa e que os pais não sabem nada. A verdade é provavelmente muito.

A loja de aplicativos oferece mais de um bilhão de aplicativos para smartphones. A maioria desses aplicativos disponíveis é inofensiva e até útil, incluindo aplicativos de música e aplicativos de transporte público. No entanto, uma pequena minoria desses aplicativos conecta crianças a sites de mídia social potencialmente prejudiciais.

O Badoo é um desses tipos de aplicativos. Nem sempre é apropriado dizer diretamente ao seu filho para não usar aplicativos específicos, mas este site não é aquele em que seu filho deve estar. É um site de namoro.

Não é necessariamente prejudicial, mas o site foi projetado para adultos e adultos usam o site principalmente. As crianças não devem ser permitidas onde os adultos estão tentando conhecer outros adultos. Algumas pessoas pensam que permitir que uma criança use o Badoo seria semelhante a enviar seu filho a um bar para conhecer novos amigos.

O Badoo é evidente em sua restrição para menores de 18 anos, porque é um local de encontro para adultos. No entanto, essa restrição pode ser ignorada ou ignorada por uma criança determinada e inteligente. Com isso em mente, é essencial que você conheça o site para poder manter seu filho seguro.

Protegendo seu filho no Badoo

O primeiro passo para proteger sua privacidade no Badoo é entender que o site é para adultos. Embora os termos e condições do site Badoo indiquem claramente que é para maiores de 18 anos, uma criança pode mentir sobre sua idade e ainda criar uma conta.

Você também deve estar ciente de que outras pessoas podem criar contas falsas para solicitar fotos inadequadas ou roubar dados pessoais. Você também deve entender que qualquer informação compartilhada no Badoo pode ser compartilhada publicamente. Esse fato é válido para uma variedade de sites; portanto, seu filho deve saber nunca compartilhar informações pessoais com estranhos.

Se você deseja excluir uma conta, pode efetuar login, acessar as configurações e clicar em excluir conta. Se você deseja desativar os serviços de localização no aplicativo Badoo, pode fazer login, acessar o perfil, clicar na palavra ‘privacidade’ e clicar em ‘mostrar distância’.

Os termos e condições do Badoo afirmam claramente que, se souberem que um menor criou uma conta, eles excluirão as informações de perfil do Badoo. Este contrato permite que você envie uma mensagem para o Badoo na página de comentários e eles removerão a conta do menor.

Esta página de comentários pode ser encontrada em https://badoo.com/help/report-underage.phtml. Todas as informações acima ajudam a manter seu filho seguro, mas o Badoo é um site estritamente adulto e não é apropriado para menores de 18 anos.

5. Facebook

logotipo fbDe todos os aplicativos disponíveis, pode-se argumentar que o Facebook é o aplicativo mais usado. As informações fornecidas abaixo são diferentes dos dados apresentados acima, porque não se referem principalmente a crianças.

Independentemente disso, essas informações são necessárias se você deseja manter seus filhos em segurança. Esses dados podem até ser úteis para pessoas que não têm filhos porque o Facebook tem muitos perigos e você precisa saber como se proteger.

Uma grande coisa sobre o Facebook é que ele permite que você se proteja de uma ampla variedade de perigos, como coleta de dados e roubo de identidade. No entanto, você deve alterar as configurações padrão para proteger você e seus filhos.

Protegendo seu filho no Facebook

O primeiro passo é verificar suas configurações básicas. Faça login no aplicativo e clique na cenoura suspensa localizada no canto superior direito e clique em configurações. Aqui, você pode verificar as configurações de privacidade e segurança.

Para alterar as configurações de privacidade, selecione “privacidade” e pressione o botão de edição ao lado de “quem pode ver suas futuras postagens?”. Depois de selecionar esta seção, você pode selecionar quais amigos podem ver suas postagens. Você pode até proteger atualizações de status anteriores, selecionando “limitar quem pode ver as postagens anteriores” e, em seguida, clicando em “limitar as postagens anteriores”.

Você pode alterar as configurações de segurança selecionando ‘segurança’ e clicando em editar ao lado de ‘receber alertas sobre logins não reconhecidos’. Nesta área, você pode escolher como o Facebook notifica você sobre atividades irregulares.

Se você tiver dúvidas de que alguém possa acessar a conta, selecione “usar autenticação de dois fatores”. Depois de escolher este botão, clique no botão azul “começar” e siga as instruções fornecidas na tela.

Uma variedade de outras opções de segurança e proteção pode ser encontrada na área de configurações. Uma ferramenta útil está localizada na guia “Propriedade e controle da conta”. Depois de clicar nessa área, você pode desativar ou excluir a conta.

Se você deseja desativar sua conta temporariamente, selecione Desativar. Se você deseja excluir permanentemente sua conta, selecione Excluir conta.

Alguns outros aplicativos favoritos que você precisa conhecer como pai:

Bumble – Este aplicativo é semelhante ao Tinder, mas requer que a mulher faça o primeiro movimento. Já foi dito que as crianças usam o Bumble para criar contas falsas falsificando sua idade.

Live.me – Este aplicativo de vídeo ao vivo utiliza geolocalização para compartilhar vídeos. Este procedimento permite que os usuários localizem a localização exata da transmissão. Também é possível ganhar moedas para pagar pelas fotos de uma criança.

Calculadora% – Parece um aplicativo de calculadora, mas é um local secreto para ocultar fotos, arquivos, vídeos e histórico do navegador.

Olá– Sendo um aplicativo de bate-papo por vídeo viciante e autoproclamado, Holla permite que crianças acessem pessoas de todo o mundo. Os revisores deste aplicativo afirmam que foram confrontados com insultos raciais, conteúdo explícito e outros itens prejudiciais.

Sussurro – Com este aplicativo de mídia social, seu filho é incentivado a compartilhar segredos com estranhos. Também disponibiliza a localização do usuário para outras pessoas.

Quente ou não – O objetivo principal deste aplicativo é permitir que as pessoas se conectem. As pessoas são incentivadas a avaliar o perfil umas das outras, procurar pessoas na área local e conversar com estranhos.

Omegle – Este aplicativo é um site de bate-papo on-line gratuito que incentiva seu filho a conversar anonimamente com outras pessoas, incluindo estranhos.

Amarelo – Com sua atmosfera semelhante ao Tinder, o Yellow foi projetado para permitir que os adolescentes flertem entre si.

Queimar livro – Burn Book é um lugar em que os adolescentes publicam rumores anônimos. Esses rumores são publicados através de fotos, vídeos, áudio e textos.

Wishbone – Este aplicativo incentiva as crianças a comparar outras crianças umas contra as outras. Também permite que as crianças se classifiquem usando uma escala.

Instagram – O Instagram é o aplicativo mais usado para criar uma conta falsa para ocultar conteúdo. Enviar mensagens de texto usando o Instagram também é popular porque as mensagens são excluídas quando a criança sai da conversa.

Informações específicas sobre o país

Embora a Internet possa ser acessada em todo o mundo, todos os países, localidades e províncias podem ser extremamente diferentes. Compiladas abaixo estão informações valiosas para alguns países de interesse particular.

1. Canadá

rodada bandeira do canadáO Canadá é semelhante a outros países nesta lista quando se trata das ameaças que seus filhos enfrentam.

Snapchat

O aplicativo Snapchat pode ser rotulado como o aplicativo mais popular usado pelas crianças atualmente. 50% das crianças de 16 a 19 anos de idade em todo o mundo usam o Snapchat mensalmente, enquanto apenas 40% dos adolescentes canadenses o usam. Essas estatísticas tornam o Snapchat mais popular que o Facebook Messenger e WhatsApp.

Uso de Smartphone

A AVG realizou uma pesquisa convidando pais de diferentes países, incluindo o Canadá, a responder perguntas sobre o uso de smartphones entre crianças. Encontrou alguns fatos interessantes. Muitas crianças sabem como usar um smartphone antes de saberem escrever. 89% das crianças entre 6 e 9 anos estão ativas online.

Acesso à internet

O MediaSmarts do Canadá realizou uma pesquisa que revelou que 99% de todas as crianças em idade escolar têm acesso on-line fora da escola. 40% desses estudantes dormem com seus telefones celulares. 35% das crianças de 9 a 16 anos usam smartphones para acessar a Internet, enquanto outras usam tablets e laptops.

Perfis Online

Na faixa etária de 15 a 16 anos, 90% dos estudantes dizem ter pelo menos um perfil de mídia social. Na faixa etária de 11 a 12 anos, 40% dizem que sim. Esse fato é chocante, considerando a restrição de idade de 13 anos na maioria dos sites de redes sociais.

Perigos

Quase metade de todos os adolescentes canadenses viu alguma forma de imagem sexual no último ano. Quase 35% das meninas canadenses expressam ter encontrado algum tipo de conteúdo prejudicial ou odioso.

Falha dos pais

O maior erro que os pais cometem é instalar software de segurança em laptops, mas não conseguem estabelecer algum tipo de proteção no smartphone de seus filhos.

Recursos-Canadá
  • Canadian Centre for Child Protection Inc – Uma excelente fonte para aprender sobre segurança na Internet e como proteger seu filho.
  • Governo do Canadá – Este site ajuda você a escolher o celular apropriado.
  • Polícia Montada Real Canadense – A Polícia Montada fornece alguns fatos interessantes sobre segurança on-line e cyberbullying.
  • Notícias globais – Este site de notícias tem um artigo sobre a juventude canadense e a Internet.
  • LIFE – Este artigo fala sobre um estudo que mostrou que as crianças aprendem a usar smartphones antes de escrever.
  • Conselho de Segurança do Canadá – Esta lista pode ajudá-lo a estabelecer regras de segurança on-line para seus filhos.

2. Austrália

rodada bandeira da austráliaA Austrália é um país extremamente conectado, o que dificulta a segurança das crianças enquanto estiver online.

Visão geral

A Microsoft escolheu a Austrália como o local para lançar uma nova gama de tablets em todos os outros países do mundo. Um dos principais motivos dessa escolha foi o fato de a Austrália já utilizar mais comprimidos per capita do que quase qualquer outro país.

Outro fato interessante é que estima-se que mais de 29% das famílias na Austrália acessem a rede mundial de computadores usando um tablet. Também é sugerido que os australianos utilizem a Internet por cerca de uma hora a mais por dia do que os colegas nos Estados Unidos e no Reino Unido..

O uso de um desktop na Austrália continuou a diminuir, enquanto o acesso à internet via smartphone aumentou mais de 20%. Por que fornecer todas essas estatísticas? Eles mostram o aspecto da portabilidade de quantos usuários utilizam a web.

Há pouco tempo, um computador estaria localizado em algum ponto central da casa. Vários membros da família compartilhariam este computador. Também seria mais fácil controlar a capacidade de restringir o acesso ou o conteúdo com crianças.

Estes dias estão agora quase acabando. Na Austrália, sugere-se que cerca de 35% das crianças tenham telefone celular. Crianças de até 8 anos têm acesso ou carregam um smartphone diariamente. O número de filhos que possuem smartphones dobrou desde 2007.

Quando essas crianças forem adolescentes, elas estarão entre os 94% das crianças de 16 a 17 anos que têm telefone celular.

Orientação

Na Austrália, estima-se que 85% dos pais instalem software de segurança nos laptops de seus filhos. No entanto, apenas 22% dos pais instalam software semelhante nos smartphones de seus filhos. Quando se trata de segurança online, os pais precisam usar o mesmo tipo de pensamento para smartphones e outros dispositivos de Internet.

Uma variedade de implicações cibernéticas deve ser considerada ao oferecer um smartphone a uma criança. Um excelente objetivo é estabelecer um conjunto de regras sobre o uso de um smartphone. Essas regras devem ser acompanhadas de informações sobre os perigos do uso de certos aplicativos e da Internet.

Recursos-Austrália
  • News.com.au– Este artigo é uma excelente fonte de informações sobre o uso de smartphones entre crianças australianas.
  • Primeiro estudo na Austrália – Um fabuloso estudo realizado pela The Works que revela várias mudanças nos hábitos das redes sociais.
  • The Age – Este artigo explica os resultados de um estudo realizado pela Ofcom que compara comunicações de 16 nações ao Reino Unido.
  • Escritório do comissário de segurança eletrônica – Este site está repleto de recursos para garantir experiências on-line seguras e positivas.
  • Fique esperto on-line – Este site fornece aos cidadãos australianos links para ameaças on-line atuais e conselhos sobre como responder a essas ameaças.
  • Australia.gov.au– O governo oferece uma ampla variedade de recursos para proteger seu filho on-line.

3. Estados Unidos

nós bandeira redondaOs Estados Unidos estão tão conectados quanto qualquer outra área altamente povoada nesta lista.

Uso da Internet

A Shared Hope International conduziu uma pesquisa que incluiu as opiniões de 825 adultos e crianças de 7 a 16 anos. Esta pesquisa constatou que um em cada oito pais deixou seus filhos a partir de dois acessarem a Internet, enquanto apenas um em cada 10 pais não permitiu que seus filhos acessassem a Internet até os 10 anos de idade..

Mais de 71% desses pais também declararam que deixaram de supervisionar o uso on-line quando a criança completou 14 anos. Nos Estados Unidos, 72% dos casos de crianças desaparecidas que começaram on-line estão centrados em crianças menores de 15 anos.

Uso Secreto

Muitos pais têm boas intenções e envolvimento, mas a Fundação Kidsafe fornece detalhes de que 32% dos adolescentes ainda conseguem ocultar ou excluir o histórico de navegação. Outros 16% dos adolescentes abriram perfis de redes sociais ou e-mail sem o conhecimento dos pais.

Muitas vezes, quando as crianças abrem essas contas secretas, elas mentem sobre sua idade, o que atrai a atenção de crianças e adultos mais velhos.

Atenção Sexual

De acordo com o Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas, 15% das crianças de 10 a 17 anos de idade foram solicitadas a ter conteúdo sexual online. As autoridades removeram mais de 90.000 predadores sexuais de diferentes sites.

A maioria desses sites são sites de mídia social. Ao investigar como os criminosos sexuais encontraram suas vítimas, local exato. 26% encontraram a área utilizando as postagens de mídia social de uma pessoa. O departamento do xerife em Santa Clara, CA, diz que a taxa de solicitação está aumentando 1000% a cada mês.

Informação pública

Nos EUA, verificou-se que apenas 62% dos adolescentes definem seu perfil no Facebook como privado. Um colossal 17% dos adolescentes tem todas as informações definidas para o público. Essa configuração permite que todos vejam todas as postagens, informações de contato e localização.

Recursos- Estados Unidos
  • Segurança com fio – Este site é o primeiro grupo de segurança, ajuda e educação.
  • NetSmartz – Este site apresenta Clicky e os Outlaws da Internet que pedem que seu filho se junte a eles para jogos divertidos e educativos.
  • Anjos adolescentes – de 13 a 18 anos de idade, especialmente treinados em privacidade, proteção e segurança on-line, voluntários para administrar este site.
  • Walt Disney Company – A Walt Disney criou este site para ajudar os pais a conversar com seus filhos sobre uso e segurança on-line.

4. Irlanda

rodada bandeira da irlandaAs crianças na Irlanda estão bem conectadas, como as economias mais avançadas.

Rede social

Assim como no Canadá, o Snapchat é usado por 40% dos adolescentes da Irlanda, tornando-o mais popular que o Facebook e o WhatsApp na Irlanda também. O Kik Messenger é outro aplicativo popular na Irlanda. A popularidade deste aplicativo provavelmente vem da capacidade de enviar mensagens anonimamente.

Outro aplicativo questionável popular na Irlanda no Ask.fm. Este aplicativo permite que os usuários usem um formato de perguntas e respostas e foi associado a problemas de bullying e suicídios em vários países.

Crianças acessando a Internet

A Irlanda participou de um estudo encomendado pela Comissão Europeia chamado Net Children Go Mobile. Este estudo incluiu um total de sete destinos europeus. Na Irlanda, este estudo descobriu que 35% das crianças de 9 a 16 anos usavam smartphones, 29% usavam laptops e 27% usavam tablets para acessar a Internet.

Também constatou que 60% do uso da Internet acontecia em casa, mas 46% desses estudantes estavam acessando a Web apenas a partir de um quarto sem supervisão. Essas estatísticas sugerem que muitas crianças acessam a Internet sem o controle dos pais padrão.

Assim como no Canadá, 90% das crianças de 15 a 16 anos da Irlanda têm um perfil de mídia social, e 40% das crianças de 11 a 12 anos também têm.

Uso de Smartphones

Com os perigos associados aos smartphones e a incapacidade de supervisionar o tempo todo, pode ser aconselhável dar às crianças menores de 13 anos um telefone celular mais básico.

Recursos- Irlanda
  • Net Children Go Mobile – Este site é o site oficial do estudo da Comissão Europeia.
  • Hotline.pt – Dicas de segurança deste site e uma variedade de outras informações úteis sobre a Internet.
  • Webwise.ie – Este site fornece informações, conselhos e informações gratuitas sobre segurança na Internet.
  • Departamento de Justiça e Igualdade – Este site abriga a divisão de governo que processa o cibercrime.

5. Nova Zelândia

rodada da bandeira da nova zelândiaMesmo assim, a Nova Zelândia está fisicamente isolada, os nativos ainda estão tão conectados quanto qualquer outra economia avançada.

Rede social

Na Nova Zelândia, cerca de 50% das crianças de 16 a 19 anos utilizam o Snapchat. Recentemente, a Agência de Transporte da Nova Zelândia considerou o Snapchat extremamente útil quando visava usuários de drogas sobre os perigos associados à direção enquanto usava drogas..

Com esse nível de uso, é necessária uma conversa aberta e positiva com seus filhos sobre sites como Snapchat, Kik Messenger, Ask.fm, etc. Seus filhos devem entender os perigos associados a esses tipos de sites.

Acessando a Internet

70% das crianças da Nova Zelândia entre 6 e 9 anos estão conectadas. Em 2000, 22% da população da Nova Zelândia estava online. Esse número aumentou para 86% em 2012. 80% das pessoas de 15 a 16 anos e 40% das de 11 a 12 anos têm um perfil de mídia social.

Perigos dos smartphones

Cerca de 35% das crianças de 9 a 16 anos usam um smartphone para acessar a Internet. Os outros 65% usam principalmente laptops e tablets em vez de um desktop. Você pode acessar as mesmas informações em um smartphone como um tablet ou laptop, mas há muito menos software de segurança em smartphones em comparação com laptops e tablets.

Recursos – Nova Zelândia
  • Estatísticas da Nova Zelândia – este artigo explora um estudo sobre o uso da Internet na Nova Zelândia.
  • Polícia da Nova Zelândia – A Polícia da Nova Zelândia oferece algumas dicas para ajudar a manter seu filho seguro online.
  • Famílias Kiwi – Um excelente artigo sobre segurança na Internet.
  • Estatísticas mundiais da Internet – uma lista compilada de fatos sobre o uso da internet na Nova Zelândia.

Computação para Crianças

armazenamento de computação infantilSe você quiser aprender sobre o mundo, interagir com outras pessoas e se divertir, tente a Internet. A Internet tornou-se uma parte vital da vida quando se trata de trabalho e pesquisa. Esses fatos fazem com que os pais incentivem seus filhos a aprender a usar a internet.

Semelhante ao mundo real, a internet pode estar cheia de personagens e situações inseguras, inúteis e desagradáveis. Imagens violentas e conteúdo sexual explícito são apenas dois exemplos dos tipos de itens que as crianças não devem ter acesso.

Na maioria das vezes você pode proteger seu filho do mundo real. No entanto, o mais assustador é que, ao contrário do mundo real, a internet fica a apenas alguns cliques do seu filho. Esse fato significa que os pais devem moldar cuidadosamente as experiências que as crianças têm online. É vital lembrar que você deve se preocupar com mais do que apenas a filtragem de conteúdo.

Experiência na Internet para crianças

Ao tentar garantir que seu filho tenha uma experiência de internet amiga da criança, você deve perseguir uma variedade de objetivos diferentes. Esses objetivos podem ser divididos em objetivos positivos e negativos. As negativas são centradas em itens para bloquear, censurar ou filtrar, e as metas positivas são centradas em itens para apoiar, incentivar ou promover.

Alguns objetivos negativos incluem:

  • Censurar sexo, violência e outros conteúdos censuráveis
  • Protegendo seu filho de predadores adultos
  • Protegendo seu filho contra o bullying de colegas
  • Desativando compras no aplicativo e outras maneiras de gastar dinheiro online
  • Impedindo que seu filho remova a segurança do computador

Alguns objetivos positivos incluem:

  • Promoção da educação e aprendizagem
  • Incentivar e apoiar amizades online saudáveis
  • Ajudando seus filhos a se tornarem fluentes e confortáveis ​​com a tecnologia

Jump Over Technology Hangups

Quando se trata de tecnologia, os pais costumam dizer algumas coisas interessantes, incluindo:

“Eu sei menos sobre tecnologia do que meu filho.”

“Minha filha de sete anos me ensinou a usar a internet.”

“As crianças são extremamente inteligentes em relação aos computadores porque estão nelas o tempo todo.”

Se você ler nas entrelinhas do dito, poderá perceber que uma pergunta (medo) está à espreita. Às vezes, esse medo é falado, mas outras vezes, os pais o guardam para si:

“Posso proteger meu filho enquanto estiver online? A criança sabe mais do que eu! Ele ou ela pode contornar quaisquer filtros que eu coloquei na internet. Por que se preocupar? O que pode ser feito?”

Essa atitude pode ser derrotista e inútil, mas também pode ser perigosa. O bom é que essas idéias são construídas sobre suposições defeituosas.

As crianças são realmente mais espertas em relação à tecnologia?

trocas de tecnologiaA resposta para esta pergunta é talvez. Algumas crianças são brilhantes e, quando esses tipos de crianças se envolvem com tecnologia ou computadores, pode ser uma exceção em que a criança é realmente mais inteligente do que os pais em relação à tecnologia. No entanto, provavelmente é verdade que a maioria das crianças de hoje não está crescendo para ser cientista da computação ou programadora.

Essa crença provavelmente vem do fato de que a maioria das crianças é mais fluente no USO de computadores e tecnologia, mas esse fato não significa que uma criança tenha um entendimento completo de como esses computadores e tecnologias funcionam..

Quando você usa algo todos os dias, pode parecer que você é um especialista nesse item. Você dirige um carro, abre uma geladeira e abre a porta da frente provavelmente todos os dias.

Você tem um profundo entendimento de como funciona um carro, uma geladeira ou uma fechadura? Se algum desses itens quebrou, você poderia consertá-lo? Seu filho pode ter as mesmas respostas para essas perguntas sobre tecnologia e computadores.

Segurança imbatível pode ser possível

Felizmente, essas declarações fazem os pais perceberem que, mesmo que a criança seja realmente ótima com tecnologia, você ainda pode criar um ambiente on-line seguro que a criança não pode ignorar. Também é possível proporcionar um ambiente seguro para crianças excepcionalmente brilhantes e conhecedoras.

Livrar-se das brigas dos pais

Muitos pais ainda têm problemas quando se trata da segurança on-line de seus filhos, mesmo depois de descobrir a tecnologia. Uma variedade de pais ainda se sente sem esperança e esse acesso a conteúdo prejudicial chegará à criança independentemente, mas essa afirmação está totalmente errada.

Isto é importante

Você passa por todo o trabalho para fornecer um ambiente on-line seguro, mas seu filho ainda assiste a filmes sujos na casa de amigos, joga videogame violento, conversa com estranhos, etc. Ainda vale a pena e importa!

Um dos maiores motivos pelos quais isso importa é o exemplo que você está definindo. Você está claramente deixando seu filho saber o que é e o que não é apropriado.

Outro motivo é que ver ou visitar conteúdo nocivo de vez em quando é totalmente diferente de convidar o material perigoso para sua casa diariamente. A segurança começa em casa. O acesso a esse tipo de informação pode se tornar um hábito ou até um vício.

Todo mundo participa de comportamentos prejudiciais na ocasião, como comer alimentos ruins e beber muito álcool. Esses comportamentos só se tornam perigosos quando são normalizados como comportamentos aceitáveis.

Pode ser quase impossível impedir que seu filho se envolva em alguns comportamentos prejudiciais. No entanto, você pode evitar que ele se torne parte regular da vida cotidiana de seu filho.

Promoção do uso de computadores para crianças

Com algumas etapas simples, você pode promover o uso bom e seguro do computador sem muita dificuldade.

Ambiente de computação segura

história de crianças de computadorO primeiro passo é intensificar um ambiente de computação seguro. Um único aplicativo ou programa de filtragem de conteúdo não é suficiente. Você deve remover o acesso administrativo do seu filho se quiser impedir que ele ignore verdadeiramente os controles dos pais.

Atualmente, com todos os sistemas informáticos significativos (Mac, Linux e Windows), você pode configurar um usuário separado. Você pode configurar dois logins. Um será um usuário individual e o outro seria a conta de administrador. A conta do administrador será protegida por senha. Por favor, não anote a senha porque seu filho a encontrará.

Enquanto seu filho estiver usando a conta de usuário individual, ele ou ela não poderá instalar novos aplicativos sem a sua aprovação. Este procedimento também não permitirá os aplicativos que ignoram os controles dos pais e quaisquer filtros de conteúdo. Também é possível controlar o conteúdo para smartphones.

Abaixo estão alguns links onde você encontrará instruções para configurar uma conta de criança separada:

  • Windows 10
  • Chromebook
  • MAC OS X
  • Linux
  • Smartphones

Navegação na Internet infantil

A seção a seguir incluirá alguns navegadores individuais criados para ajudar as crianças a se protegerem. Plug-ins populares para navegadores também estão incluídos nesta seção. Por fim, serão discutidos navegadores projetados para crianças com necessidades especiais.

Navegadores adequados para crianças

vetor de estudante de computadorUm navegador específico que contém uma interface divertida de desenho animado deve ser usado para crianças com menos de 8 anos. Essa interface concederá acesso apenas ao conteúdo apropriado à idade.

Zoodles e Kidoz são dois navegadores especiais que podem ser úteis, mas você ainda deve ter cuidado. Às vezes, algumas coisas são rotuladas como educacionais, mas não são boas para o seu filho. Se seu filho não puder assistir a desenhos animados o dia inteiro, ele não poderá brincar no computador o dia inteiro.

Monitoramento e filtragem

À medida que as crianças crescem, elas provavelmente mudam para navegadores como Chrome ou Firefox. A maioria das crianças de doze anos não quer um navegador parecido com um desenho animado. Nessa idade, pré-adolescentes e adolescentes precisam de uma experiência real com o computador. É também o momento em que eles começarão a procurar ativamente as coisas que devem ser evitadas.

Um programa de filtragem de conteúdo é o próximo passo para essa faixa etária. Algumas opções comuns incluem:

  • OpenDNS – Este programa de filtragem de conteúdo é usado por várias empresas para filtrar o conteúdo dos funcionários. É incrivelmente fácil de configurar em qualquer computador ou laptop.
  • NetNanny – Esse sistema é provavelmente o filtro mais popular em casa. Eles estão no ramo desde 1996 e têm excelentes críticas.
  • X3Watch– Esse filtro é usado principalmente para impedir a pornografia. Foi criado inicialmente como uma maneira de ajudar adultos a superar o vício em pornografia.
  • K9 – Esse filtro é um dos filtros mais populares usados ​​pelas escolas. É um programa de software livre que não apenas filtra, mas fornece o controle dos pais.

Necessidades especiais

Uma grande variedade de crianças tem necessidades especiais que as impedem de participar de uma experiência produtiva online. Algumas ferramentas úteis para ajudar a tornar a Internet um local mais convidativo para crianças com necessidades especiais incluem:

  • Open Dyslexic– Este plugin para Chrome altera o conteúdo da página em uma fonte projetada para dislexia. O Open Dyslexic é gratuito para uso pessoal, comercial ou educacional.
  • Dyslite – Este plug-in é semelhante ao Open Dyslexic, mas oferece uma variedade maior de fontes. A empresa cobra pelo uso deste plugin.
  • WebbIE – Este navegador foi criado para cegos e deficientes visuais. Foi desenvolvido para trabalhar com itens como leitores de tela e software de conversão de texto em fala.

Depois de explorar todos os perigos da internet, você deve se lembrar que, em geral, a internet é uma coisa positiva para seus filhos. Pode enriquecer a vida de seu filho de maneiras que nada mais pode. No entanto, você deve sempre mantê-los seguros, é claro. Felizmente, este guia ajudará a fornecer as ferramentas para você poder proteger seu filho enquanto abre as linhas de comunicação.

Kim Martin
Kim Martin Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
follow me